sábado, 31 de dezembro de 2016

Entrevista: Miguel Dias

O ator Miguel Dias fala do seu início de carreira, da sua relação com a SIC e do final de «Bem-vindos a Beirais» e reage aos rumores que dão conta que é a Voz da «Casa dos Segredos». Hoje é o protagonista desta entrevista no SobreTudo.

1. Quem é o Miguel Dias?
Quem sou eu? Que bela pergunta. Sou eu. Como me conhecem sem tirar nem pôr. Bem disposto, brincalhão que adora tudo aquilo que faz, seja representar, cantar ou escrever. O Miguel que veem na televisão é o verdadeiro Miguel.

2. Como nasceu a sua paixão pela representação?
A minha paixão pela representação começou numa coletividade, a Academia de Santo Amaro, onde pela mão do meu avô que foi o meu primeiro encenador me estreei como ator. Foi amor à primeira vista, ou melhor à primeira peça e ainda hoje amo e sou fiel ao teatro.

3. O programa «Paródia Nacional» tornou-o conhecido do público. Que recordações guarda desses tempos?
O «Paródia Nacional» está guardado num cantinho muito especial do meu baú de memórias inesquecíveis. Para além de ser uma equipa maravilhosa, juntava duas coisas que adoro fazer: cantar e representar. E foi de facto graças ao 'Paródia' que o público reparou em mim e começou-me a acarinhar até hoje felizmente.

4. Oito anos depois, o Miguel destacou-se na série «Floribella», como ator e cantor. Como justifica o sucesso da série, da sua personagem e das suas músicas?
A «Floribella» foi uma novela diferente de tudo o que se fez em ficção até hoje. Tinha uma história mágica que apaixonou pequenos e graúdos. Adorei fazer o personagem Antoine e ser o responsável pelas letras de todas as canções e pela produção dos CDs que venderam mais de 250.000 discos.

5. Posteriormente, integrou a equipa do programa «Companhia das Manhãs», onde protagonizava rábulas, mas acabou por ser dispensado e não voltou a ter trabalho na SIC. Como estão as suas relações com o terceiro canal?
As minhas relações com a SIC sempre foram boas. Foi lá que começou o meu percurso em dezenas de programas quer como ator, quer como apresentador. Não tenho trabalhado com a SIC ultimamente mas acredito que é tudo uma questão de tempo e de se encontrarmos projeto certo.

6. «Bem-vindos a Beirais» marcou o seu regresso à ficção nacional. Que balanço faz da série da RTP1 e como viu o seu fim?
'Beirais' foi uma fase muito bonita e positiva da minha vida. Diverti-me muito e fui muito feliz a fazer 'Beirais'. Tínhamos uma equipa que era uma família, tinha um parceiro fabuloso, o Heitor Lourenço e foram 2 anos e meio muito felizes. Nada é eterno, tudo acaba. A vida é mesmo assim.

7. Atualmente, é o guionista de Teresa Guilherme na «Casa dos Segredos 6», da TVI. Qual é a sua opinião sobre o reality show?
Na verdade trabalho com a Teresa como guionista desde o «Momento da Verdade». Desde aí já foram escritos por nós mais de 10 reality shows. Eu gosto desse trabalho. Adoro trabalhar com a Teresa e divertíamo-nos muito a escrever graças, trocadilhos e a pregar partidas aos concorrentes.

8. Rumores indicam que o Miguel é a Voz da «Casa dos Segredos». O que tem a dizer?
Será que sou eu a Voz? É tudo por agora!

Sem comentários:

Enviar um comentário